sábado, 31 de julho de 2010

"Essas coisinhas douradas que fazem sonhar os ociosos."

Ha pouco estava lá fora caçando estrelas. Mas estavam difíceis de encontrar.Tímidas ou arredias, não saberia dizer...
Talvez seja culpa do céu. Ou só do pedaço do céu acima de mim. Em outros lugares da cidade pode ser que elas estejam brilhando e orgulhosas de si.
Um dos meus maiores desejos noturnos é poder sair para algum lugar, seguro e tranquilo, em que eu pudesse me colocar apenas a admirá-las. Aqui elas estão sumidas, e lá, bem, não sei em qual lá elas estão a se exibir. E se soubesse, ainda há o requisito seguro e tranquilo a ser preenchido.
Em cenas de filmes esse lugar sempre existe, e é acessível. As vezes praia, as vezes campo. A praia está longe, e grama, só em terrenos baldios, e não indicados.
Talvez eu possa usar um vaso de plantas aqui de casa, ou quem sabe um dia eu cultive um jardim.
Tem quem diga: "Não corra atrás das borboletas, cultive seu jardim que elas virão até você." Talvez com as estrelas, se proceda da mesma forma.
Um dia eu encontro esse lugar.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

"Quem não se dedica se complica"

Estou verdadeiramente tentando deixar a preguiça de lado para escrever sobre minha ida a Oca (Na exposição de corpos humanos), mas ainda não consegui. =/

E até queria/poderia escrever sobre coisas que pululam minha mente neste momento. Mas acredito que seja bem melhor não escrever nada.
Hoje estou, incansavelmente, lendo letras do teatro mágico, cheia de analogias e um tanto afoita (por falta de palavra melhor, mas talvez seja isso mesmo), e quando isso acontece, não escrevo bem. Bom, só escrevo quando estou assim, na verdade. Daí a certeza que se eu trabalhasse com escrita, dependeria de algo duvidoso para ganhar dinheiro. O meu humor. E isso não seria bom. E eu nunca gosto mto do que eu escrevo mesmo, exceto meus 2 (orgulho) trabalhos de filosofia, que são raras exceções. Ops. Eu sei, to confusa e desconexa (e redundante, Ráá!)... Por isso não gosto dos textos advindos dos momentos de humores indefinidos.

Bem, mas não foi pra falar sobre meu humor que comecei a escrever. Tava preguiçosamente pela internet, com a genuína intenção de pesquisar sobre umas matérias da facul, mas acabei em conversas diversas (ok, eu já sabia que ficaria no msn tb), blogs de pseudo-filósofos/poetas, e descobrindo um mundo novo denominado Twitter, e me deparei com um texto do Arnaldo Jabor.
Sei lá, vi verdades nas linhas, humor nas entrelinhas, e esperava que houvesse exageros, e, exceto pela facilidade da tal mulher sair com qualquer um e a todo momento, não houveram. Mas fato é que achei útil. Resolvi coloca-lo aqui, para evitar de escrever besteira, o que não evitou, já que o que era pra ser um "leiam o texto, achei útil!" se transformou em uma introdução com trezentas linhas de inutilidades. Mas ta aí, espero que alguém goste.
~ ~ ~
EVITE SER TRAÍDO - Arnaldo Jabor

Às amigas e amigos modernos: não deixem de ler.
Para as mulheres, uma verdade! Para os homens, a realidade!

Você, homem da atualidade, vem se surpreendendo diuturnamente com o "nível" intelectual, cultural e, principalmente, "liberal" de sua mulher, namorada etc...
Às vezes sequer sabe como agir, e lá no fundinho tem aquele medo de ser traído - ou nos termos usuais - "corneado". Saiba de uma coisa... Esse risco é iminente, a probabilidade disso acontecer é muito grande, e só cabe a você, e a ninguém mais, evitar que isso aconteça - ou então - assumir seu "chifre" em alto e bom som.
Você deve estar perguntando por que eu gastaria meu precioso tempo falando sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me chamando a atenção já há tempos. Mas o que seria uma "mulher moderna"?

A principio, seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde (e nem tem) tempo com/para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o trabalho engrandece, que é independente sentimentalmente dos outros, que é corajosa, companheira, confidente, amante... É aquela que às vezes tem uma crise súbita de ciúmes, mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que esteja errada e de correr pros seus braços... É aquela que consegue ao mesmo tempo ser forte e meiga, desarrumada e linda...
Enfim, a mulher moderna é aquela que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que pensa e o que sente, doa a quem doer...

Assim, após um processo "investigatório" junto a essas "mulheres modernas" pude constatar o pior.
VOCÊ SERÁ (OU É?) "traído", ao menos que:

- Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura. Antigamente elas choravam. Hoje elas choram, mas depois disso simplesmente traem, sem dó nem piedade.

- Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios". Ela tem de saber da sua boca - o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.

- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol) mais do que duas vezes por semana, três vezes então, é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto, elas são categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença masculina". Se não for a sua meu amigo... Bem...

- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex, bom de cama é grandessíssimo.

- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As "mulheres modernas" têm um pique absurdo em relação ao sexo e, principalmente dos 30 aos 38 anos, elas pensam - e querem - fazer sexo TODOS OS DIAS (pasmem, mas é a pura verdade)... Bom, nem precisa dizer que se não for com você...

- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões maus (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????

- Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.

- Em hipótese alguma a deixe desconfiar do fato de você estar saindo com outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo ao um "chifre" tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS "comedor" do que você... Só que o prato principal, bem... Dessa vez é a SUA mulher.

- Sabe aquele bonitão que você sabe que sairia com a sua mulher a qualquer hora? Bem... De repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela, só por um segundo, achar que você merece... Quando você reparar... Já foi.

- Tente estar menos "cansado". A "mulher moderna" também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de antigamente - "dar uma", para depois, virar de lado e simplesmente dormir.

- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta dessas coisas... Senão... Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência".
Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem, antes de dar alguma dessas "mancadas"... Proteja-a, ame-a, e principalmente, faça-a saber disso. Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele "bonitão" que vive enchendo-a de olhares... E vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!!!

"Quem não se dedica se complica."

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O impacto das prateleiras...

Ontem fui a uma das melhores atividades de rotina familiar, compras mensais no Walmart.
Bom, o que isso tem de interessante? Normalmente não teria nada, além da minha satisfação pessoal em ir ao mercado, mas este mês tive uma experiência impactante que gostaria de compartilhar... Ela foi bem divertida. hehehe

Chegamos lá, mamãe e eu, como de costume pegamos o carrinho, eu corri dar uma espiada na vitrine do pet shop para ver se havia alguma bela presença canina ou gatil, mas como não tinha nada além de um gracioso e barulhento Lhasa Apso branco e marrom, latindo ininterruptamente por conta do banho e tosa, segui adiante para iniciar minha emocionante aventura pelos corredores do mercado. Nos dirigimos para a prateleira em que geralmente começamos as compras e então VAPO!
Ficamos totalmente paralisadas e atônitas diante daquilo. Ok, vou parar de dramatizar e ir ao que importa, o aquilo é um mercado totalmente diferente, com mais espaços, prateleiras e engradados de refrigerantes no meio de campo do que o que estamos habituadas. Daí que surgiram as três grandes hipóteses da tarde:
- Entramos no mercado errado. Vai ver é o extra e não reparamos (hahaha);
- Mudaram tudo por aqui;
- Entramos em algum universo paralelo (bem, com essa hipótese minha mãe não concordava, mas mesmo assim achei importante citar).
Considerado isto, estávamos lá perplexas, até que decidimos pela segunda opção, e resolvemos desbravar o ambiente desconhecido, para tentar achar os itens da nossa singela listinha. Foi divertido, e eu gostei bastante, afinal isso acabou com a pressa costumeira da Sra. mãe, e com aquela voltinha sem graça que damos sempre nas mesmas prateleiras. Fomos obrigadas a desfilar serenamente por quase todo recinto para descobrir o paradeiro de nossos produtos prediletos, e até consegui leva-la para o antes tão evitado cantinho das tecnologias, pude passear pela fileira de cd's e dvd's, que por sinal não tinha o que eu estava procurando, pude olhar atentamente embalagens de coisas que eu nem mesmo queria comprar (uma incrível calma que não tenho habitualmente, por exemplo, ao passear sem objetivos no shopping, com todas aquelas pessoas empacando e milhares de informações visuais, situação em que costumo ser muito mais impaciente. O que infelizmente desagrada as amigas...).
No fim das contas foi uma experiência prazerosa, embora tenha sido um tanto confusa. Se não fosse pela vantagem de uma compra mais calma, teria pensado seriamente em ralhar com a administração do Walmart, pois poderiam ter colocado placas, setas, ou qualquer tipo de sinalização para que eu pudesse me locomover melhor dentro daquele emaranhado de produtos, ou ao menos avisos de reestruturação para evitar ataques nos clientes mais sensíveis. Mas, apesar da necessidade de ter que dar voltar e mais voltas, esbanjando muita simpatia, em busca de meu raro sucrilhos Froot Loops®, consegui localizá-lo triunfante e, embora sem o exigido açúcar light da minha mãe, pudemos então finalizar a compra sem mais causos.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Pezinhos na areia...

Sim... Amanhã esta hora estarei com os pezinhos na areiaaa! Ahh, em um dos lugares que mais gosto, a praia. =D
Bela paisagem, seja ao nascer ou ao pôr-do-sol, ar puro e salgado (rs*), uma areia ótima pra caminhar, e em julho costumam ocorrer tempestades sem raios e trovões o que me permite ficar no mar com chuva e eu amo isso... rs. E claro, se houver um sol pra eu fazer uma fotossíntese básica, enquanto jogo vôlei ou algum esporte semelhante, melhor ainda!

*Mistério da viagem: Será que desta vez conseguirei alguém para jogar peteca comigo?!
Não riam, é sério!! =/


P.S. O episódio de hoje de Two and a Half Man está especialmente divertido! rss

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Perfect!

http://colunas.criativa.globo.com/bicharada/2010/07/08/animais-da-guerra/

Precisava postar isto aqui. Foi uma grata surpresa, antes de me despedir da web hoje.


P.S. Felizmente vou viajar semana que vem. Horas demaais, "filosofando", ironizando, lendo, e mofando na net (acho que é pra descontar a ausência do semestre. rs).  Hmmm  =)
Mas vejam a matéria. Meus olhinhos brilharam de orgulho *-*

Ahhhh, Cláudiooo... Pamela Wins!!!!!!(dancinha vencedora)  Round 2: Fight!!!!!!!
*Não pude deixar de mencionaar. Adooro vencer..huahuahauhau

terça-feira, 6 de julho de 2010

Expectativas.

"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..."

Clarice Lispector.

~ ~ ~

Sempre me surpreendo quando alguém, quem nem mesmo me conhece, consegue compreender o que habita no lugar mais escondido e inconsciente da minha mente. E habita tão sutilmente, que nem mesmo eu, ou qualquer um ao meu redor, conseguiria decifrar.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Férias.

Siiim, estou oficialmente de férias!
Agora já é segunda, meu primeiro dia de férias! E permaneci acordada até este horário (sem culpa) para dar o grito de liberdade após três anos trabalhando! E esse post é em comemoração, três vivas para mim!
Ok, deixemos os vivas pra lá.
Mas mais interessante mesmo é que estou em férias da facul tb! O que me garante muito tempo livre. Eu já sei que depois do primeiro dia sem fazer nada, vou estar incrivelmente entediada. Então já estou, além de uns dias de viagem, programando passeios culturais por SP. É verdade mesmo... Embora more aqui há 20 anos (quase 21... uhu, presentes) não conheço tantos lugares quanto poderia. E não quero gastar meu tempo com Tv, e coisas semelhantes (pasmem!). Embora sirvam bem pra matar o tempo, eu odeio matá-lo. rs. Gosto de usá-lo a meu favor (se é que é possível, com essa mania chata que ele tem de voar), e preferencialmente com coisas que não me emburrecem. Já que ja tenho motivos demais para pensar que preciso ficar mais inteligente, e estudar muuuito, ao invés do contrário. rs
Tenho meus três livros de meta para o mês... E nesse meio tempo vou aproveitar os amigooos! Siiim, que há muito são ignorados devido ao desespero que se instalou desde que comecei a facul de Med. Veterinária. Eeee!! (Y)

Enfim, é tanto tempo livre, que nem sei por onde começar. Sou inexperiente nessa história férias, mas quero aproveitar muito. Aliás, já comecei. Sábado, pude dormir muito, sair e me divertir c/ amizades, desfrutar de agradáveis surpresas do acaso. Hoje pude ficar com minhas bbs, que tanto aaamo (mesmo que eu tenha acordado mega tarde, claro...), e que só vejo a noite quando eu chego, e que mesmo assim me recepcionam com muitas lambidas e abanadas de rabo doloridas...rs
E amanhã, bem, amanhã a gente vê.   =)

Agora, já é hora de comer um açaí, e ir nanar*

domingo, 4 de julho de 2010

Observação.

Só gostaria de registrar um protesto sobre as natas que, constante e insistentemente, "brotam"nos meus copos de café com leite. Hunf.
Lenta e agressivamente elas se formam, intentando apenas acabar com o meu prazer da hora da refeição. =/

Obrigada.

Se não sabe aonde ir, qualquer lugar serve.

Talvez eu precise mesmo de conhecimentos em meditação... Umas aulas de Ioga ou algo semelhante. Preciso me acalmar. Se, por sorte, não herdei as delicadezas estomacais de minha mãe, o bruxismo já é uma evidência gritante de minha ansiedade, extress e coisas assim. E já adianto para os nervosinhos de plantão que deslocar o maxilar por flutuações emocionais não é em nada agradável. Entretanto se você costuma ser extremamente sincero, não fará muita diferença para os outros que você esteja menos extressado, você poderá falar mais baixo, não ficar vermelho ou não gritar, mas as verdades dolorosas serão ditas assim mesmo. Mas, apesar de tudo, não abro mão da minha luta contra o conformismo. (E chegamos finalmente ao tema em questão...rss. Ahh é que fico ligeiramente brava e desconfortável quando cruzo com alguém assim, tão desperdiçando a vida, mesmo quando estou de ótimo humor...)
Como já citei em meu 1º post quero viver a plenitude da vida, tudo que ela pode me oferecer e, não, não entendo o motivo de várias pessoas por aí desejarem permanecer em uma vida medíocre. Não se trata de classe social, tipo de carreira, ou qualquer coisa nesse sentido. Se trata de superar os desafios, lutar pelo seu objetivo, e mais, ter um objetivo. Se trata de viver.
Não precisamos viver as coisas de forma superficial, na ânsia de buscar tudo, e sem aproveitar nada de verdade. Mas precisamos buscar tudo que podemos ter na vida, basta selecionar o que combina com seus desejos, intenções e o momento em que vive.

Ela, a vida, está aí!! Linda, surpreendente, emocionante, divertida, séria e companheira. De que nos serviria ignorá-la e existir apenas?? Me desculpem, mas não poderia nem se quisesse (e não quero) entender ou desejar apenas existir.