domingo, 4 de julho de 2010

Se não sabe aonde ir, qualquer lugar serve.

Talvez eu precise mesmo de conhecimentos em meditação... Umas aulas de Ioga ou algo semelhante. Preciso me acalmar. Se, por sorte, não herdei as delicadezas estomacais de minha mãe, o bruxismo já é uma evidência gritante de minha ansiedade, extress e coisas assim. E já adianto para os nervosinhos de plantão que deslocar o maxilar por flutuações emocionais não é em nada agradável. Entretanto se você costuma ser extremamente sincero, não fará muita diferença para os outros que você esteja menos extressado, você poderá falar mais baixo, não ficar vermelho ou não gritar, mas as verdades dolorosas serão ditas assim mesmo. Mas, apesar de tudo, não abro mão da minha luta contra o conformismo. (E chegamos finalmente ao tema em questão...rss. Ahh é que fico ligeiramente brava e desconfortável quando cruzo com alguém assim, tão desperdiçando a vida, mesmo quando estou de ótimo humor...)
Como já citei em meu 1º post quero viver a plenitude da vida, tudo que ela pode me oferecer e, não, não entendo o motivo de várias pessoas por aí desejarem permanecer em uma vida medíocre. Não se trata de classe social, tipo de carreira, ou qualquer coisa nesse sentido. Se trata de superar os desafios, lutar pelo seu objetivo, e mais, ter um objetivo. Se trata de viver.
Não precisamos viver as coisas de forma superficial, na ânsia de buscar tudo, e sem aproveitar nada de verdade. Mas precisamos buscar tudo que podemos ter na vida, basta selecionar o que combina com seus desejos, intenções e o momento em que vive.

Ela, a vida, está aí!! Linda, surpreendente, emocionante, divertida, séria e companheira. De que nos serviria ignorá-la e existir apenas?? Me desculpem, mas não poderia nem se quisesse (e não quero) entender ou desejar apenas existir.

Nenhum comentário: