segunda-feira, 19 de julho de 2010

O impacto das prateleiras...

Ontem fui a uma das melhores atividades de rotina familiar, compras mensais no Walmart.
Bom, o que isso tem de interessante? Normalmente não teria nada, além da minha satisfação pessoal em ir ao mercado, mas este mês tive uma experiência impactante que gostaria de compartilhar... Ela foi bem divertida. hehehe

Chegamos lá, mamãe e eu, como de costume pegamos o carrinho, eu corri dar uma espiada na vitrine do pet shop para ver se havia alguma bela presença canina ou gatil, mas como não tinha nada além de um gracioso e barulhento Lhasa Apso branco e marrom, latindo ininterruptamente por conta do banho e tosa, segui adiante para iniciar minha emocionante aventura pelos corredores do mercado. Nos dirigimos para a prateleira em que geralmente começamos as compras e então VAPO!
Ficamos totalmente paralisadas e atônitas diante daquilo. Ok, vou parar de dramatizar e ir ao que importa, o aquilo é um mercado totalmente diferente, com mais espaços, prateleiras e engradados de refrigerantes no meio de campo do que o que estamos habituadas. Daí que surgiram as três grandes hipóteses da tarde:
- Entramos no mercado errado. Vai ver é o extra e não reparamos (hahaha);
- Mudaram tudo por aqui;
- Entramos em algum universo paralelo (bem, com essa hipótese minha mãe não concordava, mas mesmo assim achei importante citar).
Considerado isto, estávamos lá perplexas, até que decidimos pela segunda opção, e resolvemos desbravar o ambiente desconhecido, para tentar achar os itens da nossa singela listinha. Foi divertido, e eu gostei bastante, afinal isso acabou com a pressa costumeira da Sra. mãe, e com aquela voltinha sem graça que damos sempre nas mesmas prateleiras. Fomos obrigadas a desfilar serenamente por quase todo recinto para descobrir o paradeiro de nossos produtos prediletos, e até consegui leva-la para o antes tão evitado cantinho das tecnologias, pude passear pela fileira de cd's e dvd's, que por sinal não tinha o que eu estava procurando, pude olhar atentamente embalagens de coisas que eu nem mesmo queria comprar (uma incrível calma que não tenho habitualmente, por exemplo, ao passear sem objetivos no shopping, com todas aquelas pessoas empacando e milhares de informações visuais, situação em que costumo ser muito mais impaciente. O que infelizmente desagrada as amigas...).
No fim das contas foi uma experiência prazerosa, embora tenha sido um tanto confusa. Se não fosse pela vantagem de uma compra mais calma, teria pensado seriamente em ralhar com a administração do Walmart, pois poderiam ter colocado placas, setas, ou qualquer tipo de sinalização para que eu pudesse me locomover melhor dentro daquele emaranhado de produtos, ou ao menos avisos de reestruturação para evitar ataques nos clientes mais sensíveis. Mas, apesar da necessidade de ter que dar voltar e mais voltas, esbanjando muita simpatia, em busca de meu raro sucrilhos Froot Loops®, consegui localizá-lo triunfante e, embora sem o exigido açúcar light da minha mãe, pudemos então finalizar a compra sem mais causos.

Nenhum comentário: