domingo, 31 de maio de 2015

Unguento

O tempo é como o vento, leva todos os lamentos...
Dos dias frios fica a saudade, dos quentes algum tormento.

Saudades do que vi, imaginei ou senti. Não apenas do que vivi.
Projetei cenários, simulei, cri.
Esperei, contruí, desmorei... Desejei, mas não parei por aqui.

Desconstrução, reformulação, alguma condescendência...
Um ou dois copos, vinho, suco ou água benta.
De toda forma o líquido faz movimentar a correnteza.

Correnteza dirigida pelo vento que, nem notei, já se encarregou da minha tristeza.


Nenhum comentário: