domingo, 8 de maio de 2011

Sui Generis

Sim, ela gosta disso.
O modo despretensioso como a faz rir.
A forma como faz piada de tudo, e não se importa que revidem (embora seja incomum que obtenham sucesso). E não, o segredo para conquistar uma mulher não é fazê-la rir, simplesmente. É fazê-la rir pelos motivos certos. Se não, não haveriam palhaços nem comediantes solteiros.

Mas, além do riso, há ainda o que a faz sorrir pra você, ou, por você... Quando observa sua forma peculiar de notar detalhes, de questionar o que todos negligenciam, de relatar casos sem parecer presunçoso, mesmo quando a vaidade grita! E aquele modo pirado de demonstrar o quão lógico e rápido é seu raciocínio. E essas insanidades.

E ela se interessa por essas insanidades. Por isso anda tão questionadora.
Não perguntaria nada, sobre o que costuma te perguntar, não fosse o fato de gostar de você. E nem sentiria aquela inquietude incômoda na sua ausência, inquietude que tenta disfarçar com o tom despreocupado que acrescenta na voz quando pergunta de você por aí.

Houve aquela cumplicidade ocasional inicial, e então a vida se incumbiu de misturar todo resto.
Percebe? Pois é.
Mas pra fazer com que ela percebesse, uma porção de coisas tiveram de acontecer, em doses homeopáticas. E essas coisas foram chamadas 'coisas em comum', sabe?  Essas semelhanças corriqueiras, que forçam as pessoas a observar alguém mais atentamente, mesmo quando a proposta inicial era manter os olhos bem fechados...

Isso tudo forma o encanto.
Que encanto? O que ela sente por você, oras.
Sente! Sem dúvida.
E atração também. Se não, jamais teria te abraçado tantas vezes, em atos inconscientes...

Nenhum comentário: