domingo, 3 de abril de 2011

Um instante...

Certas sensações não duram mais que isso. Mas são facilmente reconhecidas. E sempre me pergunto como.
Certos sentimentos são frutos de um olhar, uma palavra, um gesto. E eu também me pergunto como.

E eu me pergunto várias coisas...

Noites em claro, momentos dispersos. Sempre analisando.
O responsável pelo meu pensamento vago é sempre um ponto de interrogação, não importando as palavras que se formaram antes dele.

E creio já ter respondido algumas questões. 
Dúvidas que outrora pareciam grandes mistérios indissolúveis, hoje são apenas mais uma lição.

O que antes era exclamação, vira interrogação, e vice-versa.
O meu problema é, percebo agora, que quando encontro as respostas, muitas vezes não sei bem o que fazer com elas.

Mas meu problema se agravou, mesmo, quando um ponto qualquer, virou reticências.

Nenhum comentário: